<18 de jul de 2008

Mutipla visão

O Renato sugeriu que cada um escrevesse algo partindo da seguinte frase:
“Preciso de você de você. Você é meu refúgio. – ”.
Demorei dias pq me considero uma péssima escritora, mas ai vai minha tentativa.
O texto abaixo que escrevi é baseado frase. Utilzei nome de pessoas que viveram na época, utilizei o nome apenas para fazer uma singela homenagem. A história é TOTALMENTE FICÇÃO!
Essas pessoas jamais viveram as situações narradas.

foto do arquivo do jornal "folha de sao paulo"


UM SONHO ou UM PESADELO[i]

_ Preciso de você. Você é meu refúgio - disse Guta[ii]
Foi com essa frase que Guta arrebatou Mario Sergio e os dois embarcaram juntos. Na bagagem; umas mudas de roupa e muitos sonhos a serem realizados.
Maria Augusta, ou simplesmente Guta, era mais que uma amiga de república, éramos companheiras na luta e nos sonhos. Cursávamos filosofia na USP , quando o campus ainda era na Rua Maria Antonia, no centro da cidade de São Paulo.
Dia 02 de outubro de 1968, foi uma data muito importante para todos nós. Era primavera em São Paulo, mas se enganou quem acreditou em flores para aquela estação, eram tempos nublados para todos nós. Esta data, ainda seria marcada para sempre na história da Universidade.
Eu havia combinado, com meu grupo, ajudar no pedágio que iríamos fazer na rua da Universidade. Estava atrasada e meus passos eram rápidos, estava quase lá, quando perdi minha concentração devido a um balburdio já nas redondezas. O susto veio mesmo quando vi que o barbudio vinha da Rua Maria Antonia. Mais que isso, a rua estava em plena guerra civil.
Com um tranco fui empurrada em direção a Maria Antonia e tudo foi tão rápido que não vi quase nada. Era um barulho ensurdecedor, pedras, sangue e confusão e quando abri os olhos novamente já estava dentro da faculdade de Filosofia. Não sei como meu pé sobreviveu.
Quando finalmente consegui olhar para traz, lá estava Guta, toda vermelha e de roupas sujas. Não estava machucada nada, mas estava aflita. No meio do tumulto ela me disse:
_ Ana Maria[iii], estávamos fazendo pedágio para a UNE, quando do prédio do Mackenzie veio um ovo. E logo a batalha começou. Eles estão nos atacando!
Guta se referia a Faculdade Mackenzie que ficava na frente da Filosofia da USP. Olhei aquele panorama geral e tudo aquilo me enfureceu, as duas Universidades tinham posições políticas radicalmente diferentes. Os makenzistas eram altamente reacionário, totalmente pró governo.
Juntei-me aos companheiros, jogamos pedras, ovos e tudo mais que encontramos no meio do caminho. O dia todo na faculdade burguesa da frente
No final do dia nos reunimos e passamos a noite discutindo como agir no dia seguinte. A única coisa que comi naquele dia foi o final de um comercial de Vladimir[iv]. O entendimento era unânime: nossa revolta não era com o Mackenzie e sim contra o CCC (Comando de Caça aos Comunistas). Sabíamos que a policia estava usando a rixa das faculdades para atacar o prédio da Filosofia.
Mesmo depois de anos, ainda me lembro daquela noite como a mais longa de minha vida. Na minha cabeça era preciso mudar o mundo, os padrões precisavam ser quebrados. Era preciso reinventar o Brasil. Queríamos uma revolução global. Não bastava para mim a simples inclusão da guitarra elétrica nos festivais de Música Brasileira. Dormi menos de duas horas deitada no colo de Vladimir.
Quando o primeiro raio surgiu naquele dia 03, estávamos em compasso de espera. Mas nossa pasmaceira não impediu que a batalha prosseguisse naquele dia. E finalmente quando o prédio já estava quase todo destruído a Rua Maria Antonia ficou pequena para nós. Descemos a Consolação e fomos em direção ao centro marco da cidade.
Não é preciso dizer que quando acabou, nos espalhamos por toda cidade. O Dops tinha a ficha de alunos de cursos subversivos como o meu. Foi preciso se esconder para não sofrer torturas. Alguns foram presos em seguida a famosa batalha, outros foram presos na Assembléia de Ibiúna[v], como Vladimir.
Foi depois daquele episódio que Guta resolveu ir para Cuba e arrastou Mario Sérgio com ela. Em Cuba se casaram. Mas anos depois, com identidade falsa, voltaram para a guerrilha. A revolução era possível.
Quase quarenta anos depois eu ainda me lembro desta mulher com saudades. Ela morreu na guerrilha e eu me escondi nas montanhas com outras identidades. Cada um militou a sua forma, mas todos por um ideal.
-----------------------------------
[i] Título baseado no livro: “do sonho ao pesadelo” de Carneiro e Pontes
[ii] Homenagem a única mulher que foi trocada no seqüestro do embaixador americano pelo MR8 e depois foi levada a Cuba para o treinamento militar link http://www.terra.com.br/istoe/1863/brasil/1863_companheiras_de_armas.htm
[iii] O nome é uma singela homenagem a Ana Maria Palmera, que pertencia ao CACO (Centro Acadêmico Candido de Oliveira do Rio de Janeiro) e teve um casamento breve com Vladimir Palmeira. Ana Maria exilou-se em Cuba com o marido. Mas lá se separaram e retornou ao Brasil. Mesmo com o regime militar ainda bem forte. Para não ser reconhecida, como vários colega, usou por anos identidades falsas. Jamais estudou ou morou em São Paulo, como mencionado no texto Quer saber mais?No link
[iv] Esta foi uma outra homenagem a um grande líder estudantil; Vladimir Palmeira. Sua família é conhecida por ser de extrema direita. Participou de vários comícios e foi preso em Ibiúna/SP no clandestino congresso da UNE. Foi trocado pelo embaixador americano, pelo mais famoso seqüestro da realizado pela luta armada. Foi para o México inicialmente, depois morou três anos em Cuba e por ser contra o regime cubano se exilou no Chile. Após a morte de Allende foi expulso de vários países até finalmente ficar na Bélgica. Retornando apenas após a anistia. Ao retornar se filiou ao PT. Foi deputado e em um momento mais recente se lançou candidato a governador. Sua candidatura não agradou a cúpula petista carioca que apoiava Garotinho. Sua candidatura foi retirada. Quer saber mais? No link, ou no link ou ainda no link
[v] Mais sobre o congresso de Ibiúna: http://www.novomilenio.inf.br/santos/h0285y02.htm,
imagem:
especiais/ai5/imagens/Copy_of_foto14.jpg

Marcadores: , ,

1 Comments:

Blogger Renato Bueloni Ferreira said...

Deixa de ser modesta, o texto ficou ótimo! Parabéns.
bjs

5:55 PM  

Postar um comentário

<< Home