<7 de mai de 2008

Doi na alma


"Eu fui barbaramente torturada, senador. Qualquer pessoa que ousar falar a verdade para os torturadores, entrega os seus iguais. Eu me orgulho muito de ter mentido na tortura, senador",

enfatizou a ministra Dilma



E ainda:
"não há possibilidade de diálogo" quando se tem pela frente o "pau de arara, o choque elétrico e a morte".


Dilma disse que, na década de 70, não esteve no mesmo "momento" de Agripino quando enfrentou a luta armada para combater a ditadura.
A ministra rebateu a comparação do democrata de que a confecção do dossiê pela Casa Civil com gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) é uma prática similar às adotadas na ditadura.

"O regime que permite que eu fale com os senhores não tem a menor similaridade [com a ditadura]. Nós estamos em igualdade de condições humanas, materiais. Não estamos no diálogo entre o pescoço e a forca, senador. Por isso acredito e respeito esse momento. Isso é algo que é o resgate desse processo que ocorreu no Brasil", afirmou.

Leia na íntegra esta notícia aqui .

Se fosse um homem que estivesse sido sabatinado o tom seria muito diferente não senhores senadores?
Pois ainda doi na minha alma ouvir histórias de torutura por opinião politica! Irmão machucando irmão!!


Marcadores:

3 Comments:

Blogger Queijo said...

dói mais ainda saber que tortura ainda existe por outras razões ou por razão nenhuma. enfim, não existe razão que justifique isso. e não é só tortura física. tudo é camuflado, oculto. Toda vez que vejo um carro de polícia me lembro do Rota 66. Tenho ódio!

10:25 AM  
Blogger Queijo said...

ah, voltei para discordar dessa citação. Deus não é desespero, é esperança, mas essa é uma questão muito pessoal, né?! é só um comentário. bjs

10:28 AM  
Blogger Renato Bueloni Ferreira said...

Fabiola,
Antes que vc fique brava comigo...brincadeira, mas senti que meu último comentário te tirou do sério...não foi intencional.

Concordo que a tortura é deplorável e inaceitável, MAS a tortura não vem só da polícia, nem da autoridade constituída neste país...a tortura existe e é usada pelo traficante, pelo crime organizado, pelo invasor de terra, por vândalos que habitam a cidade.

E espero que a Sra. Dilma não use as táticas de guerrilha que aprendeu nos tempos da revolução!

5:57 PM  

Postar um comentário

<< Home