<19 de jan de 2007

25 anos sem ELis

Eu jamais em toda a minha vida vou esquecer o dia que a Elis morreu. Em janeiro de 1982 eu já uma menina de quatro anos. Estava assistindo TV, era hora do almoço. Minha mãe tinha chegado para almoçar e estava com minha vó na cozinha.
A Globo fez um alarde...apareceu um moço na Tv dizendo que a Elis havia morrido, e em seguida uma foto.



Corri até a porta da cozinha e disse para minha mãe: A moça da corujinha morreu.
Para mim a Elis era simplesmente a moça que cantava a corujinha.

Lembro da minha mãe e da minha vó chorando. Na frente da TV.


Lógico que eu não sabia o que era morte e muito menos a extensão daquela morte. Descobiría a partir daquele dia que a Elis era muito mais que a moça que cantava a corujinha.

Passei minha infância, adolescência e fase adulta descobrindo e redescobrindo a Elis. Foram muitas músicas e videos que me acompanharam durante este tempo.

Hoje, estou às vesperas de me tornar mais uma balzaquiana, ainda sinto a Elis.

Além das inúmeras músicas cantadas, ainda nos deixou compositores revelados por ela. Assim como ELis, amo Bituca, Ivan Lins, João Bosco, Renato Teixeira, como tantos outros.

Outro dia li na folha on line um diretor da Globo que participou do especial da Globo, falando da morte dela. Oras nós sabemos que a Elis morreu de complicações com alcool e drogas. Falado e falado tantas vezes. Realmente foi uma pena. Também sabemos de seu genio fortissimo e de suas brigas Homéricas. Tudo é tão pequeno diante da Elis.... até sua morte.

Acho que a Elis hoje, é mais que uma pessoa, é um mito. Que se transformou após a sua morte

Então .... Viva A ELIS QUE NUNCA NOS ESQUEÇAMOS DELA!!!

imagens

Marcadores:

4 Comments:

Anonymous simone said...

Fá, eu descobri Elis na minha adolescência, com uma prima que tb é a incondicional. Com o passar dos anos, passei a valorizá-la mais e mais a cada dia. Às vezes, que queria ter sido adulta naquela época para tê-la visto viva, snif. Muito jovem ela. Uma pena! Faço minhas as suas palavras. Temos grandes cantoras mas, pelo menos para mim, ninguém a superou até agora

2:33 PM  
Blogger Raquel said...

Meus pais diziam que eu chorei quando ela morreu. Eu não lembro, mas assim reza a lenda. Se faz 25 anos, eu tinha 4 tb.
bjs

6:45 PM  
Blogger thais said...

Nossa, eu só fui ouvir Elis depois de adulta. Comecei a pegar gosto há menos de 2 anos.

Fá, vc mandou o estudo? Não recebi.
tha.saito@gmail.com

beijo

7:15 PM  
Anonymous Anônimo said...

eu tb me lembro de onde eu estava qdo noticiaram a morte dela... estávamos passando férias em teresópolis/rj, foi na hora do almoço mesmo!!!
eu gosto da elis, claro, mas acho tão verdadeira a frase q vc escreveu:
"Acho que a Elis hoje, é mais que uma pessoa, é um mito. Que se transformou após a sua morte"
e eu não curto muito essa coisa de MITO, sabe? distancia da pessoa, faz a gente não ver os defeitos, as nuances, só a beleza, e ninguém é apenas belo, né?
bjs na paola de chinelo bordado!!!

1:14 PM  

Postar um comentário

<< Home