<27 de abr de 2011

"Hoje eu sonhei contigo,
Tanta desdita! Amor, nem te digo
Tanto castigo que eu tava aflita de te contar.

Foi um sonho medonho
Desses que, às vezes, a gente sonha
E baba na fronha e se urina toda e quer sufocar"

Nao sonho mais/Chico Buarque

Pois é na segunda nossas almas se encontraram, eu ainda não quero muito acreditar, mas foi para um adeus. Um adeus de anos.

E hoje como em um vento gelado descubro rumos e desvendo mistérios seus. Duro acreditar que aquelas covas castanhas sejam tão duras. Tão pouco dedicadas a vida solta onde somos livre e vivendo a vida. E tão dedicada a coisas pequeno burguesas, mas que te satisfazem.... pois é. É a vida.

Um dia iremos nos encontrar novamente, porque nossos caminhos se cruzam, e quem sabe iremos finalmente sorrir com franqueza. E dar risadas das coisas futeis da vida né?

A você mon petit desejo o sol mais iluminado e quente e que a lua te abra novos caminhos quando vc estiver pronto. E também me liberto com suavidade que o tempo me fez.

Preciso de oxigênio, preciso ter amigos
Preciso ter dinheiro, preciso de carinho
Acho que te amava, agora acho que te odeio
São tudo pequenas coisas e tudo deve passar

Acho que gosto de São Paulo
E gosto de São João
Gosto de São Francisco e São Sebastião
E eu gosto de meninos e meninas

inté!

Marcadores: ,

2 Comments:

Blogger Renato Bueloni Ferreira said...

Sonhos têm lá sua vontade própria, suas surpresas, sua razão. Quando o sonho é bom, o alvorecer é triste; quando o sonho é medonho, o despertar é feliz. Mas quando se pode dizer “Hoje sonhei contigo”, a alegria perdura e permeia todo o dia.
bj

11:57 AM  
Blogger Fabiola said...

Nossa lindo isso Renato... posso publicat um dia?

12:26 AM  

Postar um comentário

<< Home