<27 de mai de 2009

nada satisfaz


Qualquer prazer não satisfaz
.....
Mas o tudo que se tem
Não representa nada
....
O puro conteúdo é consideração
Congênito- Luis Melodia

Essa música sempre me chamou a atenção e quando eu li o post abaixo sobre o Red Bull logo me veio a musica novamente a cabeça. Uma viagem louca eu sei, mas sincera.
O post fala em substâncias entorpecentes e fiquei pensando que realmente estamos muito condicionados a drogas de uma maneira geral. As pessoas tomam substâncias, seja qual for, sem se dar conta que são entorpecentes, que condicionam seu corpo. Sempre arrumamos desculpas para ingerirmos, “vou tomar um remedinho para dormir” ou “estou com dor no corpo vou tomar um relaxante muscular”.
Fico imaginando que o inconsciente coletivo esta programado a não mais acreditar no nosso corpo, ou ainda mais que isso, a não acreditar mais no potencial humano. Precisamos de roupas, carro, várias terapias para aceitar condições básicas do ser humano. Vivemos em uma busca profunda de diversas coisas, mas nada nos satisfaz. A busca da satisfação pode nos levar a ingerir cocaína mesmo quando não é nossa opção, ingerimos sem ser informados. Mas o que nos leva a consumir o Red Bul? A gula insana de experimentar toda a balada, de trabalhar até o ultimo minuto, de ler todos os livros, mesmo quando nosso corpo não aguenta mais e nos dá sinal disso.
Pois é, qual foi o momento em que deixamos de acreditar em nós mesmo?



"Red Bull: o gosto é pior do que a cocaína Deu anteontem no Globo: cinco estados alemães proibiram a venda do refrigerante Red Bull Cola ao descobrir vestígios de cocaína na bebida. Segundo as autoridades, a concentração seria de apenas 0,4 microgramas por litro, uma quantidade inócua para a saúde humana, mas capaz de tirar o produto da categoria de "alimentícios" segundo as leis locais. O fabricante refutou as acusações, lembrando que extratos de folha de coca "descocainizados" são utilizados como aromatizantes no mundo inteiro e não trazer nenhum perigo para o consumo. Interessante foi a observação feita pelo farmacólogo Fritz Sörgel nos jornais alemães. Ele acha a ação um exagero. "Se medirmos hoje com esse nível de sensibilidade outros alimentos e bebidas encontrados no mercado como o Red Bull, iríamos encontrar muita coisa", afirma e completa, "Graças aos modernos métodos de análise aprendemos cada vez mais que estamos vivendo em um mar de drogas e substâncias dopantes.” Na Suíça a utilização de extratos de coca na indústria alimentícia é proibida. Por essa razão, a receita helvética da Red Bull Cola não contém o produto. Isso não impede, porém, que a bebida seja um sucesso de vendas. É difícil não encontrar nas ruas um jovem com uma latinha na mão. Alguns nem tomam mais café. Até mesmo versões locais dessas bebidas energizantes já foram lançadas: Swiss Power Beer (uma cerveja energética sem álcool com guaraná e cafeína).Talvez seja uma diferença de gerações, mas para mim Red Bull é uma espécie de chiclete líquido acrescido de estimulantes. Essa bebida não desce na minha garganta. Só não entendo que o Brasil, país do guaraná e açaí, também seja um grande consumidor. Agora uma curiosidade para o leitor: entre duas latinhas de Red Bull encontrada no mundo, uma vem da Suíça. Desde 2005, a empresa austríaca mantém uma fábrica em Widnau, vilarejo ao leste do país, com capacidade de produção de, acredite ou não, dois bilhões de latas. Aliás, o país exporta muito mais a bebida (além das capsulas de Nespresso) do que queijo e chocolate." Post aqui

Imagem aqui

Marcadores: , , ,

1 Comments:

Blogger Renato Bueloni Ferreira said...

Red Bull eu nunca tomei, mas o Nespresso é realmente um café sensacional.
Pulando pra outro assunto, esta foto que ilustra o post está sensacional...dá uma sensação de estarmos sendo sugados pelo tempo, ou pela correria da vida.
bj

5:35 PM  

Postar um comentário

<< Home