<10 de mar de 2007

Dor...sentir?


"Aquele amor bem que poderia ter morrido de morte natural
Feito aqueles velhinhos na cadeira de balanço, livro no colo cabeça baixa.
Deveria ter morrido pelo tempo- sem queixas, anestésico, remédios e feridas.
Mas não teve acordo!
Foi preciso sedativo, soro, balão de oxigênio. Muito pronto- socorro, emergência e anamnesse.
Teve recuperação,adeus à UTI e niva internação.
O amor morreu de exaustão.
Sem tragédia. Nem cadeira de balanço. Não teve velório nem missa. Nem nada.
Morreu assim: de madrugada, com telefone desligado. " (Raquel Lemos)


Achei esse verso na minha agenda... e quando eu li achei bem interessante.
Sabem por que? Porque este verso descreve exatamente o que as pessoas querem para a vida delas..."a não dor"
As pessoas vivem com medo de sentir dor... mas ela faz parte da vida.
Ontem conversando com uma amiga de cursinho que tinha acabado de fazer uma tatuagem, perguntei se tinha doido. Ela me disse algo bem interessante: "depende a forma que vc encara a dor e como vc a espera".
Bingo, é isso mesmo. Dor sentimos...mas ela pode ser potencializada por nossos sentimentos.
Mas o que é dor?
"A dor é uma resposta resultante da integração central de impulsos dos nervos periféricos, ativados por estímulos locais. Há basicamente três tipos de estimulos que podem levar à geração dos potenciais de ação nos axônios desses nervos. Variações mecânicas ou térmicas que ativam diretamente as terminações nervosas ou receptores. Fatores químicos libertados na área da terminação nervosa. Estes incluem compostos presentes apenas em células integras, e que são libertados para o meio extra-celular aquando de lesões como os íons Potássio, ácidos.
Fatores libertados pelas células inflamatórias como a bradicinina, a serotonina, a histamina e as enzimas proteóliticas. " Wikipédia
Pode parecer bem estranho, mas a dor na minha concepção além de fazer parte da vida, ainda ajuda a crescer... o que vcs acham?

imagem
textos

Marcadores:

3 Comments:

Blogger thais said...

Ah.... depende da dor. hahahahahhaah
dor de cesárea, de queimar o dedo no ferro quente, de corte de papel, de prender o dedo na porta... argh! já a "dor" do parto e da tatuagem.... ah... essas são diferentes. E boas. Hihihihihihiihihihih
agora, as dores emocionais, essas, sim, ajudam a crescer. sempre.
beijo

7:56 AM  
Blogger ana b. said...

concordo com a tha (e com vc, claro)!!!!
bjs corridos,
ana

4:17 PM  
Blogger Renata said...

Achei muito bacana a sua reflexão, acho que é por aí mesmo. A dor, a sua intensidade está intimamente ligada à forma como a encaramos. Está aí a grande chave daquela frase que diz que a dor faz parte da vida, mas o sofrimento é opcional.
Ah! Estamos de volta! bjoca!

5:02 PM  

Postar um comentário

<< Home